domingo, 6 de novembro de 2011

Eric Clapton - Clapton (2010)

Dos muros da Londres dos anos 60 sei que Clapton é Deus, e da noite de 10/10, soube como isso é muito fácil para ele. Com Clapton, lançado em outubro do ano passado, o guitarrista começa a flertar seriamente  com o jazz. Ainda somado ao show com a banda do trompetista Wynton Marsalis, que rendeu um álbum ao vivo gravado em 2011 no Lincoln Center em Nova Iorque, são indícios suficientes para acreditar numa guinada jazzística na carreira do SlowHand.
Essa mudança de direção, claro, sem deixar o blues da lado, pode revigorar as apresentações ao vivo, ainda muito concentrada nos anos 70 e 80. Neste álbum, além da escolha do repertório, os músicos convidados tinham o peso de muitos anos no jazz, como o próprio Marsalis e Allen Toussaint. As composições mostram o cuidado e o carinho de Clapton com a obra de músicos como Little Walter, Harry Woods e Walter Jacobs.
A única música deste disco apresentada naquela noite do hsbc arena é When Somebody Thinks You're Wonderful. Clapton não fugiu da tendência dos músicos de sua geração quando tocam na América do Sul, ao apresentar um repertório cheio de clássicos da carreira. Os próximos shows pela Europa e Japão podem trazer surpresas agradáveis a quem gostaria de ver essa aproximação ao jazz tomar maiores proporções. Aos 66 anos, Eric Clapton ainda dá as cartas amparada por uma fantástica banda que conta, na maioria das apresentações, com Chris Stainton, Steve Gadd, Willie Weeks e Tim Carmon.

Faixas:
01. Travellin' Alone
02. Rockin' Chair
03. River Runs Deep
04. Judgement Day
05. How Deep Is The Ocean
06. My Very Good Friend The Milkman
07. Can't Hold You Much Longer
08. That's No Way To Get Along
09. Everything Will Be Alright
10. Diamonds Made From Rain
11. When Somebody Thinks You're Wonderful
12. Hard Times
13. Run Back To Your Side
14. Autum Leaves






sábado, 5 de novembro de 2011

Primal Scream - Screamadelica (1991)

Vou começar agora uma série: COISAS QUE VI EM ALGUM LUGAR POR AÍ.
Em 2010, o Primal Scream iniciou uma jornada ao redor do planeta para comemorar os vinte anos de Screamdelica. Dia 23 de Setembro, exatamente 20 anos depois do lançamento a pérola original, foi a vez do Circo Voador receber o grito primal em uma de suas noite mais inspiradas. O Queremos organizou a movimentação para os fãs da banda bancarem o show e, mesmo com a casa não tão cheia, a banda despejou toda a energia das faixas do álbum para a turma enlouquecida dentro e fora do Circo.
Screamadelica é o último tiro no escuro de uma banda que, em 1991, estava para ser demitida da CREATION RECORDS depois de dois discos mal recebidos pelo público e pela crítica. Para Screamadelica não sair pela culatra, Jimmy Miller foi um dos responsáveis pela produção e mixagem do álbum. Miller, produtor dos Rolling Stones de Beggars Banquet até Goats Head Soup, foi o principal responsável pelo petardo Movin' On Up, muito confundida pelos ouvidos mais desatentos com a pegada de Keith Richards filmadas pelas lentes de JL Godard em 68.
A grande sacada do Primal Scream neste álbum foi a ousada mistura do rock com o dub e a música eletrônica. Slip Inside This House, do 13th Floor Elevators, caiu como uma luva nas pretensões da banda. No álbum original, essa faixa é o termômetro, define os nuances entre as três vertentes que vão variando no decorrer dos 62 minutos de ignorância.
A turnê estreou ano passado no Olympia de Londres, passou pelo festival de Glastonbury e pelo Bestival e chegou consagrada à lona da Lapa, mas sem os telões e o coral. Apesar desses detalhes, a banda não deixou por menos e estourou as caixas em uma hora e meia das mais intensas que já vi no Circo.

Faixas:
01. Movin' On Up
02. Slip Inside This House
03. Don't Fight It, Feel It
04. Higher Than The Sun
05. Inner Flight
06. Come Together
07. Loaded
08. Damaged
09. I'm Comin' Down
10. Higher Than The Sun [A Dub Symphony In Two Parts]
11. Shine Like Stars

Banda:
Bobby Gillespie - lead vocals
Andrew Innes - guitar
Robert Young - guitar, vocals on "Slip Inside This House
"Martin Duffy - keyboards, piano
Henry Olsen - bass, guitar solo on "Damaged"
Phillip "Toby" Tomanov - drums, percussion