segunda-feira, 18 de julho de 2011

Nick Drake - Five Leaves Left (1969)


Vinte e um anos de idade e autor deste LP formado por dez canções fundamentais. Nick Drake, durante sua curta vida, foi tão enigmático quanto suas composições. Introspectiva e universal, ao mesmo tempo, sua poesia é madura e inspiradora para qualquer ser humano. É também referência de música 'folk' para as novas gerações, claro. Sua obra começou a ser mais conhecida nos últimos dez anos, ninguém pode ficar indiferente a sonoridade deste inglês.

Apesar de lançar seus três álbuns numa gravadora importante, que abria espaço para a música 'folk' e oferecia os melhores aparatos técnicos, Drake não conseguiu sucesso comercial imediato. Isso o perturbou por anos. Queria estar se comunicando diretamente com jovens, como ele. Queria mudar o mundo com a força de sua poesia, com a suavidade de seu dedilhado.

A voz de Nick é um capítulo a parte na gravação deste disco. O resultado, uma voz grave e suave, aveludada com os acordes do violão, é uma engenhosidade do produtor Joe Boyd. Há um microfone somente para captar a voz de Drake, mas ela também é captada pelo microfone do violão, criando um efeito incrível, que torna a melodia da canção ainda mais agradável.

A falta de uma agenda de apresentações e, igualmente, a ausência de divulgação por parte da gravadora são alguns motivos do insucesso comercial. Drake fez algumas apresentações em bares e restaurantes mas sentia-se incomodado com o barulho das conversas. Não se sentia à vontade num palco desses.

Participaram do disco Richard Thompson, guitarrista do Fairport Convention, e Danny Thompson, baixista do Pentangle, além de Paul Harris no piano e Tristam Fry na bateria e percussão. Rocky Dzidzornu combina suas congas perfeitamente com a voz de Drake. Robert Kirby, um amigo da época de escola, é o responsável pelos belos arranjos.

Faixas:
01. Time has told me
02. River man
03. Three hours
04. Way to blue
05. Day is done
06. Cello song
07. The thoughts of Mary Janne
08. Man in a shed
09. Fruit tree
10. Saturday sun



Five Leaves Left




domingo, 17 de julho de 2011

Burro Morto - Baptista Virou Máquina (2011)

Outro dia entre numa das últimas boas lojas de disco que sobraram na cidade do Rio de Janeiro procurando por este Baptista que virou máquina. Falei com o balconista gente fina que nunca tinha ouvido falar na banda, mas me indicou outros álbuns interessantes. Também falei com o dono da loja. Eu disse o nome da banda e ele entendeu 'Do Amor', e quando finalmente entendeu o nome da banda disse que nem saberia quem fornecesse o disco. Saí de lá com uns disquinhos a mais na bagagem e uma sensação estranha.

A dificuldade de distribuição dos álbuns de bandas é alarmante. Mesmo os artistas que recebem incentivos do governo federal têm tiragem limitada e não conseguem distribuir a um número de cidades razoável. Este disco foi lançado há seis meses e já se encontra esgotado em lojas de departamento como Fnac e Livraria Cultura. Por isso, imagino, que os integrantes da banda não se preocupam com a farta propagação do álbum pela rede, inclusive antes do lançamento oficial.

Este é o segundo disco deste quinteto instrumental paraibano que se apresentou no Rio durante a Mostra Instrumental Contemporânea no mês passado. Mesmo sem letras, o disco conta a história de Baptista, um sujeito que vive num lugar onde todos só trabalham graças a "avanços médicos". Um belo dia, Baptista sofre um acidente e desmaia. É quando sonha com todos os sentimentos, prazeres e alegrias do ser humano, que naquele momento estão privados a ele. A versão física do álbum conta com um DVD com este curta, uma interessante, porém manjada, crítica ao capitalismo.

A sonoridade da banda viaja entre o afrobeat e o rock psicodélico e vai se tornando mais melódico a partir da tomada de consciência (ou da saída da condição de alienado) do personagem principal. A banda conta também com a guitarra de Fernando Catatau na faixa Cataclisma.

Formação:
Haley
Daniel Ennes
Leonardo Marinho
Natcho Gonsalves
Ruy José

Faixas:
01. O céu acima do porto
02. Transistor Riddim
03. Tocandira
04. Baptista, o maquinista
05. Volks Velho
06. Foda do futuro
07. KalaKuta
08. Cataclisma
09. Volte Amor
10. Luz Vermelha