segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Volta Sêca - As Cantigas de Lampeão (1957)

"Pouca gente no Brasil, conhecerá um sertanejo baixinho, simpático e de cara fechada chamado Antonio dos Santos. Mas todos já ouviram falar, com certeza, no famoso Volta Sêca, o mais jovem dos cangaceiros do bando de Lampeão." É assim que Paulo Roberto, então locutor da Rádio Nacional, faz a introdução ao 10 polegadas originalmente lançado em 1957 pela Todamérica. Cada faixa é prefaciada por um texto curto (meio romanceado, como convinha na época), lido pelo locutor. Em seguida, Volta Sêca entoa as melodias quase à capela e a orquestração irrompe geralmente no compasso do baião, com acordeom e zabumba.
Os épicos da saga de Lampeão, Mulher Rendeira (com os versos originais, utilizados no ataque do bando à cidade de Mossoró), Acorda Maria Bonita (a cantiga de despertar do grupo) e mais a lírica Se Eu Soubesse ("que chorando/ empatava sua viagem/ meus olhos eram dois rios/ que não te davam passagem") entram no precioso registro, onde todas as composições são atribuídas exclusivamente a Volta Sêca. Não falta o desafio Sabino e Lampeão , no qual o bando, que chegou a somar 240 integrantes, cutuca o chefe com vara curta, e lamentos quase parnasianos como Escuta Donzela (encordoado por um violão na linha de Dorival Caymmi). Cangaceiro a partir dos 11 anos, prisioneiro da polícia por outros 20, Volta Sêca mostra seu talento de voz trêmula nas queixas de Eu Não Pensei Tão Criança ("na flor da infância/ padecesse assim"). O baião Ia Pra Missa decifra o código dos embarcados para a guerra contra os "macacos" da força repressora. E A Laranjeira transborda de requinte poético, ao comparar o amor não correspondido ao bacutinho, a flor que fenece e morre sem dar frutos.Uma pequena jóia histórica de curta duração. Além disso, recomendo, para quem quer saber um pouco mais, o texto do jornalista Gilfransico, do Jornal da Cidade, clicando aqui.



Faixas:


Volta Sêca - As Cantigas de Lampeão

Nenhum comentário: