domingo, 19 de julho de 2009

Os Paralamas do Sucesso - Cinema Mudo (1983)

Álbum de estréia dos Paralamas do Sucesso, Cinema Mudo traz bastante influência do ska e em alguns momentos faz a banda ter uma sonoriadade parecida com o Police. Os Paralamas vieram à luz graças ao irmão de Herbert, que levou na rádio Fluminense FM, uma fita demo contendo 4 músicas do grupo: "Vital e sua Moto", "Patrulha Noturna", "Encruzilhada Agrícola-Industrial" e "Solidariedade Não!". A fita logo caiu nas mãos de Mauricio Valladares, que apresentava o Rock Alive na estação e tratou de apresentar ao grande público. Como as músicas da fita foram sucesso absoluto na rádio, a banda conseguiu um contrato com a EMI e assim a possibilidade de gravar seu primeiro disco.
O trio tem uma relação de amor e ódio com esse disco, já que, por um lado era o cartão de visitas e representava bastante a sonoridade da banda, também foi um pouco descaracterizado devido a interferências da gravadora nas gravações. Fato é, que graças a esse disco e também ao "Passo do Lui", segundo disco da banda, de 1984, a banda foi convidada para tocar no primeiro Rock in Rio, em 1985.
Outra curiosidade interessante, é a presença da música "Química" composta por Renato Russo, então professor de inglês do baixista Bi Ribeiro. Foi a primeira composição de Renato gravada por outro artista.

Formação:
João Barone - bateria
Bi Ribeiro - baixo
Herbert Vianna - voz e guitarra
Faixas:

"Vital e Sua Moto" (Herbert Vianna)
"Foi o Mordomo" (Herbert Vianna)
"Cinema Mudo" (Herbert Vianna)
"Patrulha Noturna" (Herbert Vianna)
"Shopstake" (instrumental) (Herbert Vianna, Bi Ribeiro)
"Vovó Ondina é Gente Fina" (Herbert Vianna)
"O Que Eu Não Disse" (Herbert Vianna/João Barone/Renato Russo)
"Química" (Renato Russo)
"Encruzilhada" (Herbert Vianna)
"Volúpia" (Herbert Vianna)


Os Paralamas do Sucesso - Cinema Mudo


ATUALIZANDO E CORRIGINDO!
Quando você, leitor, perceber algum erro faça como o cidadão abaixo.
O Mauricio Valladares mandou:
"salve, igor!
beleza?
os paralamas possuem uma equipe cascuda de rastreadores de assuntos que envolvem a banda.
ontem recebi um email desta turma comentando seu blog.
para esclarecer, aqui segue o meu texto no livro que fizemos contando a história da banda através da minha xeretinha...
cheers
/ + /"

Então, nada melhor que um dos personagens da história para esclarecer.

- salve hermano, prazer em te conhecer. vai entrando e não repara a bagunça.
- boa tarde, mauricio.
- olha aqui o Lp "combat rock" do clash que você faturou no programa.
- que legal. qualquer dia vou te mostrar a fita da banda do meu irmão.
- caramba, é mesmo? qual o nome?
- os paralamas do sucesso.
- ha ha ha... que nomezinho, hein!
- pois é, eles estão quase acabando de gravar a primeira "demo".
- então, me manda rapidinho...

foi mais ou menos assim o diálogo que travei com hermano vianna por volta de setembo de 1982 na minha casa.
época em que a rádio fluminense fm estava começando e onde eu apresentava o rocka 26, base de lançamento para um sem fim de novidades sonoras.
ninguém poderia imaginar o que viria depois desse encontro.
em algumas semanas a tal "demo" chegou e em pouco tempo "vital e sua moto" se alastrou pelos ouvidos de uma multidão curiosa.
vinte e três anos mais tarde, olhar para as imagens aqui impressas é rever grande parte da minha vida.
no cineminha que passa diante dos meus olhos, consigo - felizmente - enxergar pessoas e situações que nunca foram diretamente ligadas ao mundo paralâmico.
percebo nitidamente minha família, amores, tristezas, amigos, alegrias, desavenças ... enfim, esse é o livro de praticamente metade do que já experimentei.
para me ajudar na "história visível", convidei dois amigos de longa data - ricardo leite e arthur dapieve.
tomara que a gente tenha conseguido (bem) contar a singular trajetória dos paralamas.
essas páginas são, sobretudo, meu testemunho de admiração, amizade e inspiracão.
"tamo junto"!

m.v
março de 2005

Nenhum comentário: