segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Mulatu Astatke - Éthiopiques, Vol. 4 Ethio Jazz & Musique Instrumentale (1998)


Indo mais pra parte funda da piscina, nos deparamos com esse senhor nascido na Etiópia e radicado em Londres, Nova Iorque e Boston; e considerado o pai do Ethio-jazz. As informações que encontrei sobre esse arranjador e multi-instrumentista não são muito claras, assim como as informações sobre sua discografia.
O fato é que esse disco reune gravações de Astatke e sua banda entre 1969 e 1974, e ganhou notoriedade nos EUA quando algumas faixas fizeram parte do filme "Broken Flowers", que tem Bill Murray como diretor, e foi lançado em 2006.

Faixas:
1. Yèkèrmo Sèw (A Man of Experience and Wisdom)
2. Mètché Dershé (When Am I Going to Reach There?)
3. Kasalèfkut Hulu (From All the Time I Have Passed)
4. Tezeta (Nostalgia)
5. Yègellé Tezeta (My Own Memory)
6. Munayé (My Muna)
7. Gubèlyé (My Gubel)
8. Asmarina (My Asmara)
9. Yèkatit (February)
10. Nètsanèt (Liberty) - Mulatu Astatke
11. Tezetayé Antchi Lidj (Baby, My Unforgettable Remembrance)
12. Sabyé (My Saba)
13. Ené Alantchi Alnorem (I Can't Live Without You)
14. Dèwèl (Bell)


Mulatu Astatke - Éthiopiques, Vol. 4

sábado, 27 de dezembro de 2008

The Beatles - The White Album (1968)


Um dos cássicos absolutos lançados no ano de 1968, o Álbum Branco dos Beatles é, na minha opinião, o principal disco do quarteto de Liverpool. O disco é experimental ao extremo, em 'Helter Skelter', Paul McCartney, além de cantar, também gravou todos os instrumentos que ouvimos nesta faixa. 'While My Guitar Gently Weeps' é famosa pela participação de Eric Clapton, fazendo guitarra 1 (lead guitar), graças ao convite de George Harrison, autor da faixa.

A "lenda" diz que o clima já não era muito bom entre os quatro, no Abbey Studio. O clima melhorava quando apareciam outros músicos para fazer participações, como Eric Clapton, Nick Hopkins em 'Revolution 1'.

É o primeiro disco da banda gravado totalmente em 8 canais, o que proporcionou viagens psicodélicas como 'Revolution 9'.

Todas as faixas compostas por Lennon/McCartney, menos onde especificado.

Lado 1

1."Back in the U.S.S.R." 2:43
2."Dear Prudence" 3:56
3."Glass Onion" 2:17
4."Ob-La-Di, Ob-La-Da" 3:08
5."Wild Honey Pie" 0:52
6."The Continuing Story of Bungalow Bill" 3:14
7."While My Guitar Gently Weeps" (Harrison) 4:45
8."Happiness Is a Warm Gun" 2:43

Lado 2

1."Martha My Dear" 2:28
2."I'm So Tired" 2:03
3."Blackbird" 2:18
4."Piggies" (Harrison)2:04
5."Rocky Raccoon" 3:32
6."Don't Pass Me By" (Starkey)3:50
7."Why Don't We Do It in the Road?" 1:41

8."I Will" 1:46

9. "Julia" 2:54

Lado três

1."Birthday" 2:42

2."Yer Blues" 4:01
3."Mother Nature's Son" 2:48
4."Everybody's Got Something to Hide Except Me and My Monkey" 2:24

5. "Sexy Sadie" 3:15
6."Helter Skelter" 4:29
7."Long, Long, Long" (Harrison)3:04

Lado quatro

1. "Revolution 1" 4:15
2. "Honey Pie" 2:41
3. "Savoy Truffle" (Harrison) 2:54
4. "Cry Baby Cry" 3:01
5. "Revolution 9" 8:22
6. "Good Night" 3:11

The Beatles:

Paul McCartney

John Lennon

George Harrison

Ringo Star

Conviadados:


Eric Clapton: lead guitar on "While my Guitar Gently Weeps".
Jack Fallon: violin on "Don't Pass Me By".
Jimmy Scott: congas on "Ob-La-Di-Ob-La-Da".
Mal Evans: backing vocals and handclaps on "Dear Prudence" and "The Continuing Story of Bungalow Bill", saxophone and sound effects on "Helter Skelter".
Jackie Lomax: backing vocals and handclaps on "Dear Prudence".
Yoko Ono: backing vocals and handclaps on "The Continuing Story of Bungalow Bill" and tapes and sound effects on "Revolution 9", backing vocals on "Birthday"
Linda McCartney: backing vocals on "Birthday"
Maureen Starkey: backing vocals on "The Continuing Story of Bungalow Bill".
Pattie Harrison: backing vocals on "The Continuing Story of Bungalow Bill".





link:The Beatles - White Album

TV On The Radio - Dear Science (2008)


Outro destaque deste ano que vai chegando ao fim, o 'TV On The Radio' chega com letras longas, algumas faixas sem refrões, o que vai de encontro com o gosto do público brasileiro de hoje. Mas o sucesso alcançado por este grupo cascudérrimo do Brooklyn, NY; vem justamente daí. 'Rolling Stone' e 'The Guardian' são duas publicações que elogiaram bastante esse disco, além das três citadas no post anterior.





Faixas:
1. "Halfway Home" (5:31)
2. "Crying" (4:10)
3. "Dancing Choose" (2:56)
4. "Stork & Owl" (4:01)
5. "Golden Age" (4:11)
6. "Family Tree" (5:33)
7. "Red Dress"(4:25)
8. "Love Dog"(5:36)
9. "Shout Me Out"(4:15)
10. "DLZ" (3:48)
11. "Lover's Day" (5:54)
Formação:
Tunde Adebimpe - Vocals
Kyp Malone - Vocals, Guitars, Bass, Synth
David Andrew Sitek - Programming, Guitars, Samples, Bass, Synths
Gerard A Smith - Bass, Organ, Synth
Jaleel Bunton - Drums, Guitar, Organ, Synth, Bass

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Fleet Foxes - Fleet Foxes (2008)

Considerado como o melhor disco deste ano, pela revista Mojo, e também figurando em posições de destaque em outras publicações do mesmo prestigio como a Wire e Uncut, esse disco não podia ficar pra depois. Esse é o primeiro disco da banda, que já tinha lançado vários EP's e singles. Extremamente influênciados pelo folk de David Crosby e Bob Dylan, e pelo rock do Led Zeppelin, a banda consegue fazer uma sonoridade totalmente atual e empolgante. A voz de Robin Pecknold se encaixando perfeitamente nas músicas e soando extremamente contagiante, com destaque para a faixa 2, onde o disco cai, definitivamente, nas graças do ouvinte.
A capa é um detalhe de uma pintura de 1559, chamada 'netherlandish proverbs', do artista Pieter Bruegel.
Como estréia, é um disco muito bom, e mantém esperanças nos próximos lançamentos desta banda.

Faixas:

"Sun It Rises" – 3:11
"White Winter Hymnal" – 2:27
"Ragged Wood" – 5:07
"Tiger Mountain Peasant Song" – 3:28
"Quiet Houses" – 3:32
"He Doesn't Know Why" – 3:20
"Heard Them Stirring" – 3:02
"Your Protector" – 4:09
"Meadowlarks" – 3:11
"Blue Ridge Mountains" – 4:25
"Oliver James" – 3:23

Formação:
Robin Pecknold
Skye Skjelset
J. Tillman
Casey Wescott
Christian Wargo










link:
Fleet Foxes - Fleet Foxes

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

The Black Keys - Magic Potion (2006)


Esse é o quarto disco da dupla americana, com 'apenas' uma guitarra e uma bateria, esses caras fazem um estrago profundo e, talvez, irreversível em nossos ouvidos. Fortemente influênciado pelo blues, colocando um rock pesado e sujo, é um prato cheio. Serve também como exemplo para os "fulanos" que acham que a música acabou e não aparecem mais bandas/artistas de qualidade desde mil novecentos e preto-e-branco.
Formação:
Dan Auerbach - guitarra
Patrick Carney - bateria
Faixas:

"Just Got to Be" – 3:01
"Your Touch" – 2:45
"You're the One" – 3:29
"Just a Little Heat" – 3:42
"Give Your Heart Away" – 3:27
"Strange Desire" – 4:22
"Modern Times" – 4:22
"The Flame" – 4:36
"Goodbye Babylon" – 5:56
"Black Door" – 3:31
"Elevator" – 3:44





link:
The Black Keys - Magic Potion

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Stone Free: A Tribute To Jimi Hendrix (1993)


Neste tributo à música de Jimi Hendrix, o que chama a atenção é a variedade de artistas que participaram do disco. Contemporâneos ou não, cada um coloca ou tenta colocar um pouco do seu próprio estilo nas músicas do gênio da guitarra.
Eric Clapton com 'Stone Free', Buddy Guy com 'Red House' e Jeff Beck com 'Manic Depression' representam de forma sensacional a geração de Hendrix.
'I Don't Live Today' ficou por conta de Paul Rodgers e Slash que ainda tiveram o luxuosíssimo auxílio da Band of Gypsys que era formada por Billy Cox no baixo e Buddy Miles na bateria.
O único que teve coragem de escolher uma música do disco "Electric Ladyland" foi o 'Living Colour' com 'Crosstown Traffic'.
Outras releituras interessantes ficaram por conta do Body Count com 'Hey Joe', Pretenders com 'Bold As Love' e Nigel Kennedy, violinista britânico com 'Fire'.
A título de curiosidade, a banda M.A.C.C. formada apenas para gravar a versão de 'Hey Baby (Land of the New Rising Sun)' teve como formação: Mike McCready (pearl jam), Jeff Ament (pearl jam), Matt Cameron (soundgarden/pearl jam) e Chris Cornell (soundgarden/ audioslave).
Faixas:
01. Purple Haze - The Cure (5:19)
02. Stone Free - Eric Clapton (4:25)
03. Spanish Castle Magic - Spin Doctors (4:06)
04. Red House - Buddy Guy (3:48)
05. Hey Joe - Body Count (4:28)
06. Manic Depression - Seal and Jeff Beck (5:11)
07. Fire - Nigel Kennedy (4:39)
08. Bold As Love - The Pretenders (3:23)
09. You Got Me Floatin' - P.M. Dawn (4:49)
10. I Don't Live Today - Slash, Paul Rodgers and Band of Gypsys (4:32)
11. Are You Experienced - Belly (3:38)
12. Crosstown Traffic - Living Colour (3:10)
13. 3rd Stone From the Sun - Pat Metheny (6:00)
14 - Hey Baby (Land of the New Rising Sun) - M.A.C.C. (5:26)




link:Stone Free: A tribute To Jimi Hendrix

senha: garca

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Martinho da Vila - Maravilha de Cenário (1975)



Neste disco de 75, apenas pela interpretação da primeira faixa Martinho da Vila já merecia um lugar ao lado de Noel Rosa, naquela mesinha bem na entrada do bairro de Vila Isabel. Se não conhece, clique aqui.
"Aquerela Brasileira", de Silas de Oliveira, é uma letra digna de um dos maiores sambistas do país, não tem quem não se contagie com o ritmo e a letra dessa música, até os hermanitos argentinos, que tem uma queda forte pela nossa música ficam todos cerilépes escutando essa maravilha.
O restante do disco descorre de forma serena e tranquila, com destaque para a faixa "Maré Mansa", parceria com Paulinho da Viola (dois grandes Vascaínos juntos); e "Lá Na Roça" música de Candeia.

1
Aquarela brasileira
(Silas de Oliveira)
2
Você não passa de uma mulher
(Martinho da Vila)
3
Tempo de menino
(Edgar Ferreira)
4
Andando de banda
(Sergio Cabral - Rildo Hora)
5
Lá na roça (Mês de Maria)
(Alvarenga - Candeia)
6
Maré mansa
(Paulinho da Viola - Martinho da Vila)
7
Salve a mulatada brasileira
(Martinho da Vila)
8
Verdade verdadeira
(Martinho da Vila)
9
Cresci no morro
(Martinho da Vila)
10
Hino dos Batutas de São José
(João Santiago)
Participação: Orquestra Tabajara
11
Se algum dia
(Martinho da Vila)
12
Glórias gaúchas
(Martinho da Vila)



MArtinho da Vila - Maravilha de Cenário

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Jorge Ben - África Brasil (1976)

Depois de Jorge Ben, o samba nunca mais foi o mesmo.
"Aonde já se viu?", dizem os puritanos. "Tocar samba com guitarra!"
Pois é, é exatamente o que esse gênio da música faz nesse disco. Além de revisitar alguns sucessos de discos anteriores, dando uma roupagem também ligada ao funk e ao soul.
Não gosto muito de comparações, mas na minha opinião, esse disco está para a carreira de Jorge Ben, assim como "Blonde on Blonde" e "Highway 61 Revisited" está para Bob Dylan.
Então, é pedrada na certa!

Faixas
Ponta De Lança Africano (Umbabarauma) (Jorge Ben)
Hermes Trismegisto (Jorge Ben)
O filósofo (Jorge Ben)
Meus filhos, meu tesouro (Jorge Ben)
O plebeu (Jorge Ben)
Taj mahal (Jorge Ben)
Xica da Silva (Jorge Ben)
A história de Jorge (Jorge Ben)
Camisa 10 da Gávea (Jorge Ben)
Cavaleiro do cavalo imaculado (Jorge Ben)
África Brasil (Zumbi) (Jorge Ben)

Banda Black Rio - Maria Fumaça (1977)


Ah, o Brasil! Terra das cantoras, desde Emilinha Borba, Elizeth Cardoso e Carmém Miranda, por exemplo, passando por Nara Leão, Elis Regina, Gal Costa, Marina Lima, Cássia Eller e chegando até Roberta Sá, Teresa Cristina e Vanessa da Matta. ( Pensou que eu ia falar Ivete Sangalo e a outra moça que esqueci o nome, né?)
Então, qual seria o impacto, no público brasileiro em geral, de uma banda INSTRUMENTAL que, em seu primeiro LP, mostrava que veio para misturar samba, funk e soul em 1977 ?

EXATO!

Nenhum, ou quase nenhum...o público brasileiro presta muita atenção na mensagem cantada pelo(a) cantor(a), o que é bom, mas não dá quase nenhuma importância aos instrumentistas, o que é muito ruim.
Então uma banda instrumental no Brasil não é uma boa idéia comercialmente.
Mesmo assim, o projeto foi bancado por uma grande gravadora, que lançou esse disco.
Com músicos do quilate de Oberdan Magalhães, Jamil Joanes, Claudio Stevenson e Luis Carlos Santos; não tinha erro. É pedrada atrás de pedrada!
Uma das grandes bandas que já escutei, esse disco é uma obra-prima da música brasileira, devidamente esquecido e subestimado pelo público em geral!
'Leblon Via Vaz Lobo', 'Mr. Funky Samba', 'Maria Fumaça' são as composições próprias de maior destaque do disco. Além de versões como 'Na Baixa do Sapateiro' de Ary barroso e 'Casa Forte' de Edu Lobo.
Dali há alguns anos, a banda sairia em turnê com Caetano Veloso, tendo um dos shows lançados em CD posteriormente, mas já uma história para outro dia!


Banda
Oberdan Magalhaes(sax); Lucio J da Silva(trombone); Barrosinho(trumpet); Jamil Joanes(bass)Claudio Stevenson(guitar); Cristovao Bastos(keyboards); Luis Carlos Santos(drums)
Músicas
01 - Maria Fumaça (Oberdan / Luis Carlos)
02 - Na Baixa do Sapateiro (Ary Barroso)
03 - Mr Funky Samba (Jamil Joanes)
04 - Caminho da Roça (Oberdan / Barroso)
05 - Metalúrgica (Cláudio Stevenson / Cristóvão Bastos)
06 - Baião (Luis Gonzaga / Humberto Teixeira)
07 - Casa Forte (Edu Lobo)
08 - Leblon Via Vaz Lobo (Oberdan)
09 - Urubu Malandro (Lourival de Carvalho "Louro" / João de Barro)
10 - Junia (Jamil Joanes)

Link:Banda Black Rio - Maria Fumaça

The Jimi Hendrix Experience



Esse "ignorantes" terão muito mais espaço aqui.
Por enquanto, é só!

Bob Dylan & the Band - Before The Flood (1974)


Robert Allen Zimmerman, o queridíssimo Bob Dylan, ou Ziminho, para os íntimos, revolucionou a maneira com que diversas gerações encaram a música popular. Desde seu rompimento com o folk tradicional, seus shows e turnês são acompanhadas por bandas formadas por grandes músicos recrutados por Dylan. A primeira delas foi 'The Band' que o acompanhou desda a turnê do disco 'Highway 61 Revisited' até a década de 70. A banda também gravou discos de estúdio com Dylan, como: The Basement Tapes, Planet Waves. Composta por músicos extremamente virtuosos, a banda deu uma roupagem nova para as versões de estúdio de Dylan, a idéia de fazer mudanças no ritmo, harmonia, voz, enfim, mudar TUDO ganhou força nessa época. Os shows de Bob Dylan, principalmente hoje em dia, são com versões muito diferentes das originais, principalmente com músicas das antigas como 'Masters of War' e até a clássica 'Like A Rolling Stone'.
Qualquer artista razoavelmente sério, faz um show com alguns improvisos, mas Dylan vai além. Nesse disco ao vivo, ele mescla suas músicas com as composições próprias da "The Band" tornando esse disco duplo, na minha opinião, no melhor registro oficial ao vivo da carreira de Bob Dylan.

The Band era formada por:
Rick Danko: Baixo elétrico
Levon Helm: Bateria
Garth Hudson: Orgão e Piano
Richard Manuel: Piano Elétrico e Orgão
Robbie Robertson: Guitarra

Disc one
"Most Likely You Go Your Way (And I'll Go Mine)" – 4:15
"Lay Lady Lay" – 3:14
"Rainy Day Women #12 & 35" – 3:27
"Knockin' on Heaven's Door" – 3:51
"It Ain't Me, Babe" – 3:40
"Ballad of a Thin Man" – 3:41
"Up on Cripple Creek" (Robertson) – 5:25
"I Shall Be Released" – 3:50
"Endless Highway" (Robertson) – 5:10
"The Night They Drove Old Dixie Down" (Robertson) – 4:24
"Stage Fright" (Robertson) – 4:45

Disc two
"Don't Think Twice, It's All Right" – 4:36
"Just Like a Woman" – 5:06
"It's Alright, Ma (I'm Only Bleeding)" – 5:48
"The Shape I'm In" (Robertson) – 4:01
"When You Awake" (Manuel/Robertson) – 3:13
"The Weight" (Robertson) – 4:47
"All Along the Watchtower" – 3:07
"Highway 61 Revisited" – 4:27
"Like a Rolling Stone" – 7:09
"Blowin' in the Wind" – 4:30
Todas as faixas compostas por Bob Dylan, menos onde marcado.
Links: CD 1 - Disco 1
CD 2 - Disco 2



quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Led Zeppelin - Led Zeppelin III (1970)


Esse álbum leva a diferentes tipos de sentimentos. Da histeria e perplexidade com o poder de "Immigration Song" à serenidade de "Tangerine". O blues "Since I've Been Loving You" também merece destaque, como uma das primeiras composições genuinamente "bluseira" da banda, ou seja, sem levar muito pro rock.
A grande quantidade de músicas acústicas, concebidas graças ao "retiro" bucólico pelo qual o quarteto passou para compor, também leva a banda a um novo patamar, depois de dois discos, em 69, com Jimmy Page descarregando riffs de guitarra.
A produção do disco também leva a marca de Jimmy Page, usando efeitos característicos para "emendar" uma faixa na outra.
O resto, até onde consigo comentar, é a mais pura obviedade, Robert Plant cantando muito, John Paul Jones, apesar de discreto como baixista, deixa sua marca na composição deste disco e o MONSTRO John Bonham quebrando tudo nas baquetas.
Side one
"Immigrant Song" (Jimmy Page, Robert Plant) – (2:25)
"Friends" (Page, Plant) – (3:54)
"Celebration Day" (Page, Plant, John Paul Jones) – (3:29)
"Since I've Been Loving You" (Page, Plant, Jones) – (7:23)
"Out on the Tiles" (Page, Plant, John Bonham) – (4:08)

Side two
"Gallows Pole" (traditional, arr. Page, Plant) – (4:58)
"Tangerine" (Page) – (3:12)
"That's the Way" (Page, Plant) – (5:39)
"Bron-Yr-Aur Stomp" (Page, Plant, Jones) – (4:18)
"Hats Off to (Roy) Harper" (traditional) – (3:42)
O disco em vinil não é difícil, nem caro. Apesar de que, eu NUNCA vi esse disco e é o único da banda que não tenho!


Salve! Salve!

O intuito deste blog, assim como o de outros 500 zilhões iguais a esse pela internet, é propagar, difundir, expandir a música do mundo.
Não ficar cravado num determinado espaço e tempo, não ter preconceitos sonoros, ir do funk ao clássico, do rock progressivo ao jazz, da psicodelia ao folk!
Esse é o sentimento que me motiva a começar essa empreitada.

TODOS os links postados aqui, não serão criados pela equipe do blog, serão links que já existem na rede, iremos apenas repassá-los ao público deste blog.

E vamo que vamo!